Av. Professor Manuel de Abreu, 850
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
De Segunda à Sexta das 08h às 17h
Nosso Expediente

No 1º ano de pandemia, serviços perderam 14,5 mil empresas e 313 mil empregos

O primeiro ano da pandemia de covid-19 resultou no fechamento de 14.544 empresas prestadoras de serviços não financeiros no País, acompanhado de uma extinção de 313.383 postos de trabalho. Os dados são da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) de 2020, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira, 24.

O número de empresas encolheu 1,1% em relação a 2019, enquanto o pessoal ocupado recuou 2,4%. No entanto, os impactos foram mais drásticos nas atividades que prestam serviços presenciais. Nos serviços prestados às famílias, 59.835 empresas fecharam as portas e 467.882 pessoas perderam o trabalho. O segmento inclui os serviços de alojamento, alimentação, atividades recreativas e culturais, serviços pessoais e ensino continuado.

Os serviços prestados às famílias tiveram a maior queda proporcional em número de empresas, um enxugamento de 14,3%. O subsetor que mais perdeu postos de trabalho, em números absolutos, foi o de serviços de alimentação, o equivalente a 329,2 mil vagas eliminadas.

Proporcionalmente, o segmento que mais cortou trabalhadores foi o de agências de viagens, operadores turísticos e outros serviços de turismo, uma queda de 28,4% no pessoal ocupado.
Correio Braziliense