Av. Professor Manuel de Abreu, 850
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
De Segunda à Sexta das 08h às 17h
Nosso Expediente

Setores da sociedade estudam medidas para reduzir riscos de acidentes com GNV

Representantes dos trabalhadores de postos de combustíveis, da Agência Nacional de Petróleo (ANP), do Procon-RJ e empresários, avaliam uma série de ações para aumentar a segurança e reduzir os riscos de explosões de carros movidos a GNV. O presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, participou nesta terça-feira (30), de uma reunião na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) para discutir a implantação de medidas que protejam não só os trabalhadores, mas também a sociedade durante o abastecimento com GNV.

Entre as medidas a serem adotadas está a formação de um curso de qualificação de riscos de GNV, para os trabalhadores de postos de combustíveis. Os frentistas vão receber treinamento sobre as normas de segurança e como proceder durante o abastecimento com GNV.

Eusébio Neto destacou a importância da participação dos frentistas na campanha, que está sendo elaborada, para conscientizar o motorista sobre o risco de circular com carros sem o certificado de segurança veicular. Segundo o presidente do sindicato, é importante mostrar que o posto é um lugar seguro e saudável para todos, e, principalmente, para os trabalhadores que estão expostos a todo tipo de situação, inclusive de explosão.

O grupo estuda também a implantação de um selo com validação digital, que só permite a liberação da bomba de abastecimento, se o cilindro de GNV do carro for legalizado.

Nas três últimas explosões no estado do Rio de Janeiro, que deixaram duas pessoas mortas, entre elas um frentista, os cilindros estavam enferrujados e sem o selo de certificação.

PRECARIZAÇÃO DA MÃO DE OBRA, SEGURANÇA E SAÚDE

 

O presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, esteve na tarde desta terça-feira (30) na sede da Superintendência do Ministério do Trabalho no Rio de Janeiro, no Centro. Ele entregou ao superintendente do órgão, Alex Bolsas, uma relação com mais de 150 pedidos de fiscalização em postos de combustíveis. Segundo Eusébio, esses pedidos foram feitos nos últimos dois anos. O superintendente Alex Bolsas, atendendo ao pedido do presidente do sindicato, se comprometeu a retomar as mesas redondas, para mediação de conflito entre patrões e empregados. Também participaram da reunião, o chefe da fiscalização do órgão, Felipe Wittich, Ana Luiza Horcades, Luiz Fernando, a advogada do sindicato Thaís Farah e assessor político da entidade, Bartolomeu França.

 

 

Por Estefania de Castro
Design Mylena Campos