Av. Professor Manuel de Abreu, 850
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
De Segunda à Sexta das 08h às 18h
Nosso Expediente

NCST realiza plenária em defesa da unicidade sindical

O sindicalismo brasileiro se movimento para se assegurar relevante na luta em prol do trabalhador. Primeiro foi a PEC apresentada pelo deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) que foi protocolada duas vezes e foi retirada por falta de assinatura e trazia em seu texto o fim da unicidade sindical, o que mexeu com o movimento sindical.

Em contraponto a PEC, foi apresentado o PL 5552/2019 pelo deputado Lincoln Portela (PL/MG). Esse projeto de Lei é defendido pela NCST, CTB, CSB e a FST.

E foi sobre o PL 5552/2019 que foi apresentado na quarta-feira (23) pelo José Calixto, presidente da NCST a líderes sindicais reunidos em São Paulo.

A estrutura sindical é com o sindicalismo, não com o governo”, disse Calixto sobre o que pretende o projeto de lei.

O PL tem como objetivo regular a estrutura sindical, sem mexer na unicidade sindical, que para muitos será o fim do sindicalismo brasileiro como disse o secretário geral da CTB, Wagner Gomes: “Propor o fim da unicidade sindical é a morte do movimento”. Ele continua: “O PL apresentado é o que vai garantir a unicidade sindical e a sobrevivência do movimento”.

Além do secretário geral da CTB que esteve presente na plenária da NCST, o Eduardo Annunciato, conhecido como Chicão, presidente do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo, filiado à Força Sindical esteve na reunião e manifestou seu apoio ao PL 5552. “Esse projeto me representa 100%. Eu defenderei até esse PL”, disse Chicão.

Esse o momento de unidade, enquanto algumas centrais só querem se manter viva”, enfatizou a vice-presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Estado de São Paulo (FETIASP), Neuza Barbosa.

Era esse o sentimento de todos ali. O movimento sindical precisa de unidade para o seu fortalecimento e desenvolvimento diante de tantos ataques contra o sindicalismo brasileiro.

*Via Mundo Sindical*