Av. Professor Manuel de Abreu, 850
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
De Segunda à Sexta das 08h às 17h
Nosso Expediente

Brasileiro enche o tanque e esvazia o carrinho do supermercado

As vendas do comércio varejista brasileiro recuaram pelo terceiro mês seguido. É o que aponta a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE, divulgados nesta quarta-feira(14). O volume de vendas caiu 0,8% em julho, levando o setor para o patamar próximo do período pré-pandemia, de fevereiro de 2020. Os dados mostram que o brasileiro esvaziou o carrinho de compras, mas, ao mesmo tempo, encheu o tanque do carro. Combustíveis foi o único segmento a apresentar alta nas vendas.

No comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, o volume de vendas em julho caiu 0,7% frente a junho.

Trajetória irregular
De acordo com o gerente da pesquisa, Cristiano Santos, a terceira queda seguida após meses de alta demonstra a retomada da trajetória irregular pela qual passa o varejo desde o período mais grave da pandemia.

Enquanto artigos farmacêuticos, combustíveis, materiais de construção e hiper e supermercados registram volume de vendas muito acima do patamar pré-pandemia, há atividades como as de livros e jornais, vestuário e calçados, móveis e eletrodomésticos, além de veículos e motos, que não se recuperaram até o momento.

Perspectivas
A perspectiva dos analistas econômicos para o comércio não é animadora neste ano.Isso porque o setor lida com a escalada dos juros – cuja ciclo de alta da Selic agora deve chegar a 13,75%, segundo analistas – que encarece o crédito.
Carolina Nalin, Extra